Início de ano é sempre um período estimulante para planejar novas metas, mudanças e acertar o que não foi tão bom no ano anterior. Com as boas perspectivas em torno da economia, muitos brasileiros estão repensando a forma de organizar o orçamento familiar.
Segundo uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), as principais metas dos consumidores do País são:  juntar dinheiro (51%) e sair do vermelho (37%).
O estudo também mostra que 70% dos entrevistados estão otimistas com o cenário econômico de 2019 e 72% acreditam que sua vida financeira será melhor.
Para que isso aconteça, é importante fazer um planejamento financeiro logo no começo do ano, segundo orientou o economista Ricardo Paixão.
“Nesse planejamento, é preciso relacionar todas as despesas e avaliar se, no fim do mês, você gasta mais do que recebe. Se for esse o caso, é necessário decidir quais despesas podem ser enxugadas para reduzir os gastos mensais”, recomentou Ricardo, que é presidente do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon-ES).
Após esse planejamento, vale definir alguma atividade extra para complementar a renda. “Partindo das habilidades de cada um tem, é possível realizar alguma atividade no horário livre, como fazer unhas, dar aulas particulares, fazer alguma comida para vender. Isso vale para todos os integrantes da família”, orientou o especialista.
Passando por essas duas etapas, o consumidor já pode verificar a possibilidade de poupar algum dinheiro. “O principal pré-requisito para a poupança é gastar menos do que recebe. O ideal é poupar entre 5% e 30% do que se ganha, mas esse valor vai variar de acordo com as possibilidades de cada família”, finalizou Ricardo Paixão.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.