Durante os períodos de chuva é comum encontrar ruas alagadas. Tentar atravessar estes trechos pode causar prejuízos aos motoristas, principalmente para quem dirige carros pequenos. Antonio José Esteves Amorim, gerente de serviços da Prime Hyundai de Carapina, dá algumas dicas sobre o que fazer nessas situações.

“O ideal é não passar em ruas com alagamento, mas se o motorista for pego de surpresa é importante reduzir a velocidade e manter distância do veículo à frente, para evitar colisões e aumentar o campo de visão.” Afirma o especialista.

Até que altura de água eu posso passar danificar o carro?

De acordo com o especialista o ideal é não entrar em áreas alagadas em que a água esteja acima de 20 centímetros. Quando for inevitável atravessar, lembrar de passar em velocidade baixa e constante e  sempre utilizando uma marcha forte, como a  1º ou 2º marcha.

As camionetes não enfrentam este tipo de dificuldade, pois são preparadas para atravessar trechos com água. Mesmo assim, o recomendado é que os motoristas destes veículos evitem passar em alta velocidade. Assim, a água não cobre outros carros, situação que pode até provocar  acidente.

Quais os itens que costumam danificar?

As partes elétricas são as mais sensíveis. Há que se ter muita atenção para não ocorrer calço hidráulico, quando o motor aspira agua, provocando quebra de partes internas, gerando um custo elevado de reparo.

Se o pneu estiver mais gasto ou mesmo careca é mais perigoso andar em dias de chuva?

Sim. Pneu gasto ou careca tem menor capacidade de drenagem de água e pode provocar aquaplanagem, que é a diminuição ou perda total do contato do pneu com o solo e com isso o carro pode deslizar e causar acidentes.

E se o carro desligar no meio da parte alagada?

O especialista afirma que se o carro ‘morrer’ no meio do alagamento, não se deve tentar ligá-lo novamente. “Neste caso é importante ligar o pisca alerta, se possível e não oferecer risco à sua segurança, sair pela janela, evitando abrir as portas. Se o veículo estiver imobilizado em um alagamento, ao abrir as portas a água invadirá o habitáculo, provocando um custo de reparo elevadíssimo, em alguns casos pode até mesmo, haver a perda total do veículo, uma vez que muitas centrais eletrônicas ficam alojadas no interior do automóvel.” Explicou Antonio José Esteves Amorim, gerente de serviços da Prime Hyundai de Carapina.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
Topo