O incêndio criminoso contra um carro de reportagem da TV Vitória/Record, por volta das 12h desta segunda-feira (06), tornou-se um dos alvos da operação conjunta entre Polícia Civil e Polícia Militar no Bairro da Penha, em Vitória. Em coletiva, o delegado chefe da Polícia Civil no Espírito Santo, José Darcy Arruda, afirmou que a identificação dos autores deste crime faz parte do trabalho que está em andamento.
"Imediatamente quando tomamos conhecimento do fato, já determinei à toda equipe que colocasse esse evento crítico como também um dos alvos da nossa operação. Enquanto ainda não tivermos uma informação precisa, a operação continuará. Ainda está em andamento e, de todas as formas, vamos encontrar e apreender esses autores", disse o delegado, que completou em seguida:
"Estão buscando informações, buscando imagens, buscando tudo que é possível para a identificação e também a prisão dessas pessoas que praticaram esse ato bárbaro".
José Darcy Arruda ainda disse que a Polícia Civil já chegou à conclusão de que o incêndio criminoso foi feito para despistar a operação.
"Eu não tenho dúvida, porque a operação está sendo exitosa, foi muito bem planejada. Nós tínhamos todo um trabalho para operação a fim de preservar aquelas vidas, preservar essas pessoas para evitar que esses fatos acontecessem, mas ele surgiu de uma forma inesperada, a gente não estava aguardando porque todo nosso efetivo está no morro, então, na verdade, o que eles praticaram não vai ficar sem resposta", garantiu.
O delegado José Darcy Arruda também se manifestou sobre a atitude cometida contra a imprensa. "O comportamento contra a imprensa nós entendemos que seja um comportamento contra a democracia, contra as pessoas que estão trabalhando, levando a informação. Nós não vamos admitir isso. Já estamos trabalhando", afirmou.
Sobre a Operação
A Operação Polícia, que foi iniciada nesta segunda-feira (06), aconteceu no Bairro da Penha, além de Gurigica, Itararé, Bonfim e Jaburu. De acordo com a Polícia Civil, o objetivo era cumprir 11 mandados de prisão preventiva e 13 mandados de busca e apreensão. Cinco suspeitos de envolvimento com roubo e tráfico de drogas foram detidos.
Os mandados de prisão são referentes às investigações de ataques que ocorreram em fevereiro a uma empresa que fornece alimentos para os presídios. Os criminosos atacaram a empresa de marmitas em Cariacica, além de incendiar ônibus em Nova Almeida, na Serra.

Fonte: Folha Vitória

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.