O Brasil possui cerca de 62 milhões de inadimplentes, uma situação que leva muitos devedores recorrerem a empresas especializadas em “limpar” o nome dos consumidores. Mas, muitas vezes, essa é uma promessa que pode se transformar em frustração.

Um levantamento da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), feito com quem esteve com o nome sujo nos últimos 12 meses e já saiu dos cadastros de devedores, revela que dois em cada dez (22%) ex-negativados contrataram empresas especializadas em limpar o nome. Desses, 43% não tiveram as expectativas atendidas, entre os quais 22% afirmaram não ter resolvido o problema como esperado e 21% acabaram pagando mais caro do que se tivessem tratado a questão direto com o credor.

Segundo a pesquisa, mais da metade dos consumidores contaram que pagaram antecipadamente à empresa prestadora do serviço e 29% só se propôs a pagar após o serviço.

O presidente do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon-ES), Ricardo Paixão, alertou que, na hora de escolher uma empresa para negociar a dívida, é preciso tomar alguns cuidados e não acreditar em fórmulas mágicas.
“A primeira medida é procurar o credor e tentar negociar. Se não tiver êxito e quiser contratar uma empresa, é importante verificar a idoneidade dessa instituição. Checar se o CNPJ é verídico, investigar se não há reclamações registradas e, preferencialmente, escolher uma empresa que tenha escritório físico”, orientou o economista.

Paixão ressaltou, ainda, que é muito importante ler com atenção todas as cláusulas do contrato. “É preciso ter cuidado para não acreditar em promessas falsas. No ato da negociação, preferencialmente, opte por efetuar o pagamento ou parte dele quando o problema for resolvido. Não assine nada sem ler com atenção”, alertou.



Fique atento:
Na hora de contratar uma empresa para ajudar a “limpar” seu nome, é importante tomar alguns cuidados:

  • Verifique se o CNPJ da empresa é verídico. Pode ser por meio do site da Receita Federal;
  • Verifique se há reclamações sobre a empresa. O site do Procon-SP possui uma lista de empresas com alto índice de reclamações. Outros procons também podem fornecer informações;
  • Dê preferência a empresas que possuem escritório físico;
  • Não confie somente em sugestões de comerciais de redes sociais, internet e TV. Peça a opinião de outras pessoas que já utilizaram esse tipo de serviço;
  • Leia com atenção as cláusulas do contrato. Preferencialmente, opte em efetuar o pagamento (ou parte dele) após o problema ter sido solucionado;
  • Não acredite em soluções milagrosas, principalmente se a dívida for recente.

Fonte: Corecon-ES

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.