Mais de 49% dos professores entrevistados em pesquisa recente não recomendam sua própria profissão.
Foto: Divulgação.
A violência contra professores no Brasil é chocante. Recentemente a mídia noticiou que só no estado de São Paulo os casos de agressão a docentes aumentaram 189% em 2018. Infelizmente, essa é a realidade em todo o país, em escolas públicas e privadas. Sendo assim, o deputado estadual Vandinho Leite propôs o Projeto de Lei n° 226/2019, onde sugere ações para prevenir e punir ocorrências contra profissionais de ensino no ambiente escolar. As instituições deverão estimular reflexões nas unidades de ensino, com participação de toda a comunidade escolar, incluindo os pais de alunos.

Vandinho declara que o combate à violência de professores deve começar com uma mudança na percepção da figura do profissional e da instituição. “Ser professor não deve significar vergonha ou última opção, pois, é através dessa profissão que se pode construir o futuro, o enfrentamento às violências praticadas também deve ser observado, passando por um processo de conscientização de direitos e pela valorização da profissão pela sociedade e pelos próprios professores, até a propositura de legislações específicas”, disse o deputado.

A proposta explicita como atos de violência, todo comportamento que envolva agressões físicas, intimidações ou ameaças contra os profissionais de ensino. Segundo o projeto, as punições pelos atos de violência, dependem da gravidade do acontecimento, podendo variar entre afastamento definitivo do agressor a unidade de ensino e em casos menos graves poderá haver suspensões temporárias. Em qualquer decisão haverá sempre consulta ao conselho escolar antes de a decisão ser tomada.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.