O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça Criminal da Serra, denunciou um porteiro acusado de matar um pastor a tiros no município. O crime ocorreu em 23 de junho deste ano, no bairro São Judas Tadeu. Na ação, o MPES requer que o porteiro seja julgado pelo Tribunal do Júri. O porteiro encontra-se preso no Centro de Detenção Provisória da Serra (CDPS).

De acordo com a denúncia, o porteiro surpreendeu o pastor na Igreja Assembleia de Deus localizada no bairro São Judas Tadeu, onde ministrava cultos aos domingos. Ele teria agido de forma premeditada e se escondeu atrás de um caminhão e aguardou o melhor momento para alvejar a vítima com um disparo pelas costas.

Apesar de ter sido socorrido por familiares, o pastor não resistiu aos ferimentos e morreu. O denunciado fugiu do local e seguiu para casa, após parar em um bar para tomar cerveja. Ainda de acordo com texto de denúncia, o porteiro desconfiava que a vítima tinha participação no homicídio do irmão, em 2003, e cometeu o crime movido por sentimento de vingança.


O MPES requer a prisão preventiva do porteiro para que ele não seja solto até o final do processo e argumenta que existem provas suficientes de autoria do crime confirmadas por depoimentos de testemunhas, por laudo de microcomparação balística e pela confissão extrajudicial do denunciado.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
Topo