Principais áreas do corpo afetadas quando um idoso cai são fêmur, coluna/vértebras, ombro e punho.
Foto: Pixabay.
Com o avanço da idade, é comum surgirem limitações de mobilidade e, com elas, o perigo das quedas. Segundo o Ministério da Saúde, essa é a sexta principal causa de morte na terceira idade.

As principais áreas do corpo afetadas quando um idoso cai são fêmur, coluna/vértebras, ombro e punho. No entanto, a gravidade pode ser ainda maior em devido a outras doenças que podem surgir após a fratura, como pneumonia e úlceras de pressão, provenientes de internações e imobilizações.

“Dentre as fraturas mais comuns ocasionadas por quedas, a do fêmur é a mais limitante. As lesões neurológicas vêm em seguida, também com graves consequências”, explicou o médico geriatra Gustavo Genelhu.

“As próprias alterações músculo-esqueléticas e cardiovasculares que acompanham o envelhecimento, independente de qualquer doença, já trazem risco de quedas. Daí a importância de uma boa alimentação e da atividade física regular como principal forma de prevenção desses acidentes”, alertou o especialista.

Por isso, cuidadores e responsáveis precisam ficar atentos ao ambiente em que o idoso está vivendo, pois a casa está repleta de “armadilhas” que passam despercebidas.

Tapetes, pisos escorregadios, cadeiras, mesas e sanitários muito baixos, e ressaltos, principalmente no banheiro, são alguns itens que representam perigo. O uso de sapatos inapropriados, quarto pouco iluminado, associado à incontinência urinária, com idas ao banheiro a noite, também aumentam esse risco.

“Outro ponto que merece atenção é a polimedicacão, ou seja, a grande quantidade de remédios que o idoso, muitas vezes, precisa tomar. Estatisticamente mostram que, quanto maior o número de medicamentos usados, maior é o risco de queda, especialmente os psicotrópicos, que atuam sobre o sistema nervoso central, afetando os processos mentais e alterando a percepção”, informou Genelhu.

Fique atento:

- Tapetes, pisos escorregadios, cadeiras, mesas e sanitários muito baixos, e ressaltos, principalmente no banheiro, são alguns itens que representam perigo.

- Quarto pouco iluminado, associado à incontinência urinária, com idas ao banheiro a noite, também podem levar a quedas.

- O uso de sapatos inapropriados aumenta o risco de acidentes dentro e fora de casa.

- Quanto maior o número de medicamentos usados, maior é o risco de queda, especialmente os psicotrópicos, que atuam sobre o sistema nervoso central, afetando os processos mentais e alterando a percepção.

- Dependendo da situação do idoso, a companhia noturna pode ser necessária, ou até mesmo um cuidador, uma vez que muitas famílias não podem dedicar todo o seu tempo aos cuidados com os seus idosos.



Fonte: Gustavo Genelhu (médico geriatra)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
Topo