Ministrado pelos campeões de Jiu-Jitsu, Ewelin Braga e Bruno Altoé, o aulão vai reunir 30 mulheres em tatame montado no Masterplace Mall, na Reta da Penha, para aprenderem noções básicas de autodefesa


Os dados são preocupantes. O Espírito Santo registra números alarmantes de feminicídio, agressão e assédio contra mulheres. Só em Janeiro deste ano, o Estado bateu recorde no que diz respeito ao homicídio das capixabas. Enquanto as leis e projetos não se tornam 100% eficazes, as mulheres driblam a insegurança e as atitudes machistas da forma como podem, por isso, muitas têm adotado a prática das artes marciais como forma de autodefesa. 

Foi pensando nisso que a empresária Eloiza Roncetti decidiu promover o evento “Lute como uma Mulher”, um aulão de defesa pessoal voltado para mulheres, que acontece no dia 27 de julho, sábado, das 15h às 17h, no Masterplace Mall. Em menos de 48 horas, todas as 30 vagas disponibilizadas foram preenchidas através das redes sociais do Mall. A aula será ministrada pela campeã capixaba de jiu-jitsu Ewelin Braga e pelo campeão Pan-americano Bruno Altoé. 

Segundo Eloiza, a adesão das capixabas mostra a preocupação delas com o aumento da violência na rua e até mesmo dentro dos lares. “Incentivar a prática da autodefesa é uma forma de conferir empoderamento e controle sobre o próprio corpo às mulheres. O mundo mudou e elas alcançaram muitas conquistas, mas, infelizmente, ainda são prejudicadas quando o assunto é violência”, pondera.

A contadora Deniza Ferreira, 28 anos, é uma das participantes do aulão. Ela explica que um dos motivos que a levou a se inscrever no evento promovido pelo Masterplace Mall é o aumento no índice de violência contra as mulheres. “Se sentir seguro na rua é essencial à vida e à autoestima. Que outras grandes empresas possam ver este evento como exemplo de ação social e que se mobilizem para promover atitudes como esta”, completa.  

Outra participante do aulão, Taiane Miranda destaca que além de ajudar a adquirir conhecimentos básicos sobre defesa pessoal, o evento também é uma oportunidade para conhecer um pouco mais sobre os atletas da área e a dedicação deles para dar continuidade à rotina de treinos. Ela acrescenta que a prática da autodefesa empodera e ajuda a dar tranquilidade ao dia a dia das mulheres. 

Há também quem já pratique Jiu-Jitsu, mas quer aprimorar as noções de autodefesa. Esse é o caso da estudante de enfermagem, Fabileny Sara Barcelos, que reconhece a importância de ações que incentivem as mulheres a se defenderem e, ao mesmo tempo, praticarem exercícios, uma forma de torna-las ainda mais confiantes e elevar a autoestima.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
Topo