A maneira de se alimentar de forma saudável
vem pelo exemplo, diz o especialista.
Os alimentos industrializados são vilões perigosos e não devem fazer parte da dieta dos bebês por mascararem grandes quantidades de sal, açúcar, conservantes e gorduras nada saudáveis. O resultado é bebê acima do peso e uma futura criança obesa com hábitos alimentares errados. 

O cirurgião metabólico Antelmo Sasso Fin revela que 8% das crianças com idades entre 5 e 8 anos estão obesas e com doenças oriundas dos quilinhos a mais. “São crianças com diabetes tipo 2 e até pressão alta e tudo começa na primeira infância, quando elas têm o primeiro contato com os alimentos. É por isso que sou contra os industrializados. Eles não têm nenhuma fibra, não dão saciedade e atrapalham o desenvolvimento sadio de uma criança”, alerta o especialista.

Por não dar saciedade, quanto mais o bebê ou a criança come o alimento industrializado, mas eles vão querer comer e o start no ciclo vicioso é dado na infância. 

“As mamães devem ficar atentas porque, além da diabetes e pressão alta, os alimentos industrializados ou processados causam cáries, doenças cardíacas e colesterol alto. Uma boa nutrição no período neonatal e na primeira infância garante desenvolvimento e crescimento saudável para a criança”. 

Na era de apelos via televisão e internet, pode ficar difícil para mamães e papais controlarem os pedidos dos pequenos por comidas industrializadas, mas é possível uma reeducação alimentar desde pequenos. 

“A maneira de se alimentar de forma saudável vem pelo exemplo. Quem toma conta de um bebê e de uma criança deve ter essa convicção. Oferecer alimentos naturais para o bebê formar seu paladar, papinhas preparadas com legumes diferentes são uma boa pedida. E para aqueles que possuem filhos grandinhos, nada melhor do que se alimentar de forma saudável na frente deles. Lembrem-se: as crianças imitam seus pais em tudo”, ensina Antelmo Sasso Fin.