Parte da equipe que atuou na ocorrência de resgate de uma bebê no último domingo (28), no bairro Resistência, em Vitória, foi recebida pelo comandante-geral da PMES, coronel Moacir Leonardo Vieira Barreto Mendonça, na tarde da última quinta-feira (1º), em seu gabinete. 
O momento foi proporcionado como forma de agradecimento pela atuação dos cerca de 60 policiais militares envolvidos na liberação da bebê de apenas dois meses de vida, que era mantida como refém pelo próprio pai. Depois de quase 17 horas de negociação, os policiais militares alcançaram a libertação da criança e a rendição de seu pai.
“Ainda que não tivesse acompanhado de perto ou em tempo real, eu tomei parte da situação. Para mim não é novidade o profissionalismo da nossa tropa. Nesses momentos, diante desse resultado que as pessoas têm a oportunidade de conhecer o nosso trabalho”, destacou o comandante-geral.
O coronel Barreto completou: “Não posso abrir mão de destacar, dizer meu muito obrigado e enaltecer o que vocês representam para a Instituição. Eu tenho um cargo e todo cargo é passageiro, mas o mais importante é o feito que vocês registram para a sociedade capixaba. Vocês salvaram vidas. De uma pessoa em surto e, sobretudo salvaram uma recém-nascida que não tinha nem noção do que estavam acontecendo”, frisou.
Na sequência o comandante-geral desejou ouvir àqueles que estavam na ocorrência e saber suas impressões sobre o fato. O primeiro a falar foi o comandante da Companhia Independente de Missões Especiais (Cimesp), major Rogério. Ele explicou a representação dos policiais ali presentes e o papel de cada equipe na ocorrência, além do empenho de cada uma delas em função da quantidade de horas dedicadas ao serviço e a ocorrência em si.
“Nós temos que agradecer a capacidade técnica desses policiais, a capacidade de argumentação, que realmente nos enche de orgulho. As decisões tomadas foram essenciais para o sucesso da ocorrência”, salientou major Rogério.
De maneira especial, o comandante da Cimesp lembrou do auxílio dado pela psicóloga Janice, profissional voluntária que desenvolve uma iniciativa interdisciplinar em parceria com os negociadores desde novembro de 2018 e auxiliou os trabalhos das equipes no domingo.
“Fui um pequeno ponto naquele momento, diante de uma equipe de excelência. Sou grata pelo reconhecimento e pelo contato feito comigo naquele dia. Respeito muito o trabalho de vocês”, enfatizou a psicóloga.
Um dos negociadores pediu a palavra e contou um pouco da busca pelo conhecimento e o desenvolvimento do trabalho de sua equipe. Citou o número de ocorrências semelhantes que eles atenderam no ano passado e neste ano também. “O apoio dos colegas e acolhimento dos comandantes são essenciais em nosso trabalho”.
Por fim, o comandante do CPOE, coronel Ferrari, assinalou “Hoje temos uma equipe própria e que vem ao longo do tempo treinando para agir no momento certo e com temperança. A Polícia Militar do Espírito Santo tem um legado positivo e com várias ocorrências do tipo”.
Na oportunidade do encontro foi lido o elogio individual, proposto pelo comandante-geral da PMES a cada policial militar que participou do resgate.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
Topo