Após cinco jogos disputados no último sábado (17), a rodada 15 do ​Brasileirão teve sua conclusão já neste domingo, com outras cinco partidas. O dia foi marcado por estreias pra lá de especiais pelo país, das quais falaremos um pouco no resumo a seguir. Confira o que de melhor aconteceu nos confrontos que fecharam o fim de semana de futebol:



Em partida com estreias o São Paulo vence o Ceará por 1x0



Em um dos jogos mais aguardados da rodada por conta de duas estreias de peso, o São Paulo não teve vida fácil diante de um valente e organizado ​Ceará, mas saiu de campo vitorioso pela estrela de seu novo camisa 10. Reverenciado por um Morumbi lotado, Daniel Alves teve uma tarde mágica, anotando o gol único da partida já na reta final do primeiro tempo, em jogada que também contou com participação de Juanfran, outra grande aquisição do ​Tricolor Paulista nesta janela. O Vozão teve volume de jogo e criou algumas chances perigosas, mas não conseguiu empatar o duelo. Destaque negativo para a arbitragem, que deixou escapar penalidade clara de Volpi em Felippe Cardoso, lance que sequer foi chamado pelo VAR.


Raposa voltou com tudo sobre o peixe: Cruzeiro 2 x 0 Santos


Em Minas Gerais, o ​Cruzeiro trazia uma cara nova bastante celebrada em sua área técnica: Rogério Ceni, que mesmo em poucos dias de trabalho, parece ter trazido novo ânimo ao time. Com uma postura totalmente diferente, a Raposa tomou as rédeas do jogo e conseguiu se colocar em vantagem numérica diante do líder ​Santos logo nos minutos iniciais, quando Gustavo Henrique foi expulso de forma acertada. Com um a mais em campo, o técnico estreante lançou Fred a campo para pressionar a improvisada defesa alvinegra, alteração que deu muito certo: foi dele o primeiro gol da partida, encerrando jejum do time e seu próprio, já que não ia às redes há 16 partidas. Na segunda etapa, Thiago Neves dobrou a liderança e deu números finais ao jogo, resultado que tirou o clube mineiro da zona de rebaixamento.


Unico empate do domingo: Bahia 1 x 1 Goias


Assim como na partida entre Cruzeiro e Santos, uma expulsão precoce colaborou demais para o enredo do confronto entre Bahia e ​Goiás, na Fonte Nova. Logo aos 6', Moisés recebeu cartão vermelho corretamente após uma entrada violenta, deixando o time da casa com apenas 10 jogadores. A vantagem numérica animou o Esmeraldino, que chegou ao seu gol através da bola aérea aos 33', com o zagueiro Fábio Sanches. Já na segunda etapa, o atacante Marlone teve chance clara para ampliar o marcador e praticamente matar o confronto, mas desperdiçou e viu o 'castigo' vir à cavalo: menos de dez minutos depois, Guerra foi às redes e deixou tudo igual em Salvador. Empate ruim para ambos. 



Tricolor carioca não conseguiu finalizar: Fluminense 0 x 1 CSA


Com a presença de pouco mais de 25 mil torcedores no Maracanã, o ​Fluminense mais uma vez fez feio e viu a 'panela de pressão' aumentar em seus bastidores. Enredo batido no ano esportivo do clube, o Tricolor dominou amplamente em posse de bola e em finalizações totais (33 contra 5), mas não conseguiu balançar as redes diante de um consciente e disciplinado ​CSA. A equipe alagoana soube sofrer atrás e conseguiu explorar bem os contra-ataques, quase sempre puxados pelo veloz Maranhão. Aos 34' do segundo tempo, uma arrancada de Jean Cléber pegou a zaga tricolor desprevenida e sacramentou o 1 a 0 para os visitantes, tento anotado pelo argentino Jonatan Gómez. Em que se pese a atuação ruim do árbitro Wagner Reway - negou duas penalidades ao time da casa -, mais uma atuação decepcionante do Flu.



Verdão do Oeste tava com tudo: Chapecoense 1 x 0 Avaí


Fechando a rodada 15 do Brasileirão, a Arena Condá recebeu clássico entre ​Chapecoense e ​Avaí, clubes que decidiram o Catarinense 2019. Diferentemente do que ocorreu no Estadual, quem levou a melhor desta vez foi o Verdão do Oeste, bem superior ao seu arquirrival durante toda a partida. No primeiro tempo, Arthur Gomes e Campanharo tiveram boas oportunidades de abrir o placar, mas pecaram nas finalizações. Na etapa final, os donos da casa aumentaram o ritmo e assustaram Vladimir em algumas ocasiões, mas só conseguiram abrir o placar através de uma penalidade, cometida por Betão. Na cobrança, Everaldo não perdoou e chegou ao seu oitavo gol no campeonato, atrás somente de Gabriel Barbosa na disputa pela artilharia.