Além dos exames tradicionais, é recomendado, independente da faixa etária,
a análise das condições visuais da pessoa. Foto: Pixabay.
Catarata, miopia, síndrome do olho seco, todas são doenças que acometem nos olhos das pessoas. A visita ao oftalmologista é o recomendável para evitar que elas se tornem um transtorno. Mas você sabia que a ida periódica ao profissional também pode prevenir o desenvolvimento de diversas outras doenças? É o que explica a oftalmologista Liliana Nóbrega.

Como forma de se prevenir e cuidar da saúde do corpo, anualmente milhões de brasileiros realizam exames de check-up geral, porém muitos acabam esquecendo de conferir a saúde do olho. Além dos exames tradicionais, é recomendado, independente da faixa etária, a análise das condições visuais da pessoa. Se olho é conhecido como uma janela para o nosso corpo, ele também ajuda a identificar doenças, principalmente vasculares.

“A diabetes, por exemplo, não é causada por distúrbios oculares, porém, segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, seus portadores chegam a ter uma probabilidade 25 vezes maior de perder a capacidade de enxergar. Isso acontece porque uma condição chamada retinopatia diabética causa danos nos vasos sanguíneos que irrigam a retina. Além disso, a diabetes aumenta o risco de catarata”, comenta a profissional.

São diversas outras doenças que podem
ser identificadas a partir do olho,
diz especialista.
Em pesquisa divulgada por cientistas sul-coreanos e publicada pela revista Neurology, foi constatado que exames nos olhos podem detectar de forma precoce o surgimento do Mal de Parkinson. Os voluntários que participaram do estudo foram submetidos a exames oftalmológicos, onde foi possível identificar um afinamento na retina nos portadores da doença.

“O Parkinson ainda é uma doença sem cura e os estudos para entendê-la melhor têm sido realizados em todo o mundo. Com a conclusão da pesquisa realizada por esses cientistas, podemos entender o monitoramento da retina, por profissional capacitado, um aliado ao diagnóstico do processo degenerativo, antes mesmo que as dificuldades de locomoção se manifestem. Isso contribui significativamente no tratamento”, comenta Liliana.

São diversas outras doenças que podem ser identificadas a partir do olho. Dentre os exames mais comuns com esse objetivo está o de “fundo de olho”. Com lentes de aumento, o médico utiliza uma luz que permite enxergar a parte interna do órgão, sem necessidade de medidas invasivas. “Esse exame nos dá um panorama dos vasos sanguíneos, se eles estão contraídos, estreitos e com formas anormais, isso pode significar hipertensão”, acrescenta a oftalmologista.

A lista é ainda mais extensa, contemplando até mesmo a Aids, que causa hemorragias oculares. A parte positiva é que grande parte desses problemas da visão, e outros identificados a partir do diagnóstico do olho, podem ser evitados ou minimizados a partir dos exames de rotina. Por isso, é recomendável que o “check-up do olho” também seja colocado na lista de cuidados obrigatórios com a saúde rotineiramente. “Segundo a OMS, até 80% das deficiências visuais podem ser evitadas ou curadas se for feito o diagnóstico precoce”, conclui a oftalmologista Liliana Nóbrega.