Já se sabe que os males do tabagismo não afetam somente pessoas que fazem uso do cigarro, mas também as que estão perto ou convivem com quem fuma.

E quando os fumantes passivos são crianças, o perigo pode ser ainda maior. Além de problemas respiratórios e cardiovasculares, o tabaco também pode comprometer a saúde ocular dos pequenos.

Um novo estudo realizado em Hong Kong, na China, mostrou que crianças com menos de 6 anos expostas à fumaça do cigarro apresentaram sinais de lesões nos olhos decorrentes do tabagismo passivo.

Uma das partes do olho mais afetada pela fumaça de cigarro é a coroide, que é uma densa rede de vasos sanguíneos localizada na parede ocular.

A coroide fornece oxigênio e nutrição à retina. Esse estudo realizado na China mostrou que crianças expostas ao tabagismo estavam com a coroide mais fina.

“Esse afinamento da coroide provoca a diminuição da vascularização e, consequentemente, menos oxigênio no tecido ocular. Com isso, a retina pode sofrer danos que levarão ao comprometimento visual na idade adulta”, explicou a oftalmologista infantil Iara Tavares.

Os pesquisadores de Hong Kong analisaram 1.400 crianças e descobriram que as que eram expostas ao fumo passivo apresentavam coroides significativamente mais finas em comparação às que não eram expostas à fumaça do cigarro.

“O ideal é não fumar, mas quem faz uso do cigarro não deve fumar em casa, tampouco na presença de crianças. É importante também não levar os filhos a lugares frequentados por fumantes, já que não temos como controlar os hábitos das pessoas”, orientou Iara Tavares, que é especialista em Estrabismo.

A especialista explicou, ainda, que outros problemas oculares também podem ser provocados pela fumaça do tabaco, como lacrimejamento, olho vermelho, ardência e coceira.

“Essa pesquisa é mais um alerta de que o cigarro faz muito mal à saúde e mais um motivo para abandonar esse hábito nocivo e não expor as crianças à fumaça”, afirmou a oftalmologista infantil.